terça-feira, 10 de novembro de 2009

Buraco Negro

Nesse vão
tudo é vão
até os planetas vão.

Tudo é justo,
nada sobra.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Istalone silvestre

Um corpo tão pequeno
e tão forte
Uns olhos tão grandes
e tão profundos
Uns dizeres indizíveis,
tão pesados.

És uma criança miúda
És tão cheio de coisas,
assim, silvestre
e eu desejei muito
poder te conhecer

Serás uma pessoa grande
Serás dono de todas essas coisas
assim, abstrato
e eu desejo muito
que a tua liberdade possa acontecer.





Para o Istalone que, por enquanto, não lerá.