segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

É...

Agora o que se vê é um grande espaço sem graça e sem cor.



E um grande tempo sem vontade.

Um comentário: