quinta-feira, 22 de outubro de 2015

A Cova

O rio
desde que nasce
deixa cavada
sua cova
nem os que contém
possuem parte
para que antes
enjeite-os
e morra em si

Clyfford Still

terça-feira, 13 de outubro de 2015

A pedra

Raisa Faetti. Colagem e acrílica sobre tela.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Bicho Azul

bicho azul de noite
bicho azulflado
bicho azul de dia
bicho azulmático
bicho azul parecido
bicho azulmético
bicho azul parado
bicho azultose
bicho azul azul
bicho azulagem
cão pavuloso


Fonte: Google







sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Cortejo

O cortejo passando
lixivia estruturas
pinga resistência


O cortejo confunde
intermitencias
resiste pela metade

Foto: Raisa Faetti


quinta-feira, 18 de junho de 2015

Retrato I

Seu passo

d
   e
s
a
               l
i
   n
          h
 a
d                        o

Tramela de encaixar
janelas tardias




Bernnô












quinta-feira, 11 de junho de 2015

Bicho de espanca diabo

Testando novas formas de comunicação.
Pintura com tinta à óleo e acrílica, 50 X 70 cm.
Com Lucas Ferreira - www.prosadesisifo.blogspot.com


quinta-feira, 4 de junho de 2015

Caburé

o caburezinho insistia
mascateando sinônimos

deste mesmo meridiano
onde atravesso

só o caburezinho
me tirava destes varais

tomara um dia eu seja
um hermético melodioso


Fonte: Google

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Caçada

de cima do jirau
ecos de furou panela!
e o bicho-estanque passa
assim como um peixe
pula entre árvores
uma leve gastura


Saut du Lapin - Amadeo de Souza












domingo, 15 de fevereiro de 2015

Institucional

Final de semana no campinho
a colônia inteira
assanha as bichas da barriga

detrás do Morro do Diabo
romeu-e-julietas desfilam
quando não dá cana

e o bom Grampão
encostado na trave
todo alvejadinho
de enxada e pó.



Portinari

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Coxal

antro de clastos
geram na substãn
as marcas de eva
milhares de túneis
pra escoar A+ O - AB - A -
a artéria
vicia

"oba oba"

e as curvas sensuais
dessa tábua dura
por onde meu filho
conhecerá o primeiro
e dolorido fôlego divino

entre púbis
e arcos
a revelação portátil
dos disparos da máquina
de raios x

como é bonito
o osso do meu quadril.


La Pauvrette - Chaim Soutine





















Poema escrito com:
Lucas Ferreira - www.prosadesisifo.blogspot.com
Eduardo Guimarães - www.poemadesegunda.blogspot.com

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Pantanal

Na fronteira mais ao
teiús descorados
e o restante dos bos
metabolizam

paus pretos virados no chaco
cachimbam a mesma torção

Pic. Raisa Faetti