sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Coxal

antro de clastos
geram na substãn
as marcas de eva
milhares de túneis
pra escoar A+ O - AB - A -
a artéria
vicia

"oba oba"

e as curvas sensuais
dessa tábua dura
por onde meu filho
conhecerá o primeiro
e dolorido fôlego divino

entre púbis
e arcos
a revelação portátil
dos disparos da máquina
de raios x

como é bonito
o osso do meu quadril.


La Pauvrette - Chaim Soutine





















Poema escrito com:
Lucas Ferreira - www.prosadesisifo.blogspot.com
Eduardo Guimarães - www.poemadesegunda.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário