segunda-feira, 17 de abril de 2017

Guerra dos torrões

Quando a terra quente
deste brejo urbano
ficou exposta e secou
as crianças correram
para reclamar ao dono
seu direto orgânico
de exploração da área

Declarou-se a Guerra dos Torrões
punhados de frutinhas
roubadas no mato
deixavam os dias
mais adstringentes
e sustentavam as horas
dos soldados em batalha

Prenderam os insetos
em caixinhas de fósforo
para futuras pesquisas
sobre seu potencial bélico
enquanto os últimos girinos
capturados com armas de cozinha
viravam munição

O pelotão tomou a casa abandonada
À noite ouvia-se o tropel
tudo se apertava:
coração, pernas e calor
Até os cães latirem
para alguma coruja inocente
que logo era bombardeada

Ao fim de treze anos
a rua inteira e as fachadas
todas destruídas
houve uma reunião com
a alta cúpula dos soldados
e a cansada diligência dos pais:
Era chegada a hora do banho


Eli Heil






Nenhum comentário:

Postar um comentário