domingo, 9 de julho de 2017

Gaiviota

Embaixo 

Um barco angelim
batendo nas pedras
de seu curso desocupado

Sobe na beira do morro
repara o capim aberto
atrás, a matinha cerrada

Na costa, estende a vela
trincando o largo com salsa 
e pasta de amendoim


Em cima

A fronteira flutuante
um animal duvidoso
acompanha o percurso

Solta a caça
emite seu aviso sonoro
decide puxar uma sardinha

A predadora campineira
encurta-se
sela bem suas penas

sábado, 8 de julho de 2017

O pulso

Dez mil quilômetros
Todos os nomes de um rio
e suas geografias variadas

A origem esquecida
no martinete coletivo
destes cães dóceis

Valeriam o fio do cante
e do remo pulsando
Que você segurou


domingo, 2 de julho de 2017

Aranha

o membro aracnídeo infesta
em cada reentrância
da casca rachada
crias de suas cinco pernas

e procura até sentir
em sua palma assimétrica
um broto de pau
crescendo na madeira

nesse momento
uma cabeça esmagada

Egon Schiele. Detalhe.



quarta-feira, 14 de junho de 2017

Guizos

Guizos balançam
anunciando
a sorte rançada
que coloniza as presas
de qualquer dançarina
ou serpente
que procurem no ruído
um breve ritmo

Juliana Gontijo. Sem título. Óleo sobre tela 50x60cm. 2015.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Guerra dos torrões

Quando a terra quente
deste brejo urbano
ficou exposta e secou
as crianças correram
para reclamar ao dono
seu direto orgânico
de exploração da área

Declarou-se a Guerra dos Torrões
punhados de frutinhas
roubadas no mato
deixavam os dias
mais adstringentes
e sustentavam as horas
dos soldados em batalha

Prenderam os insetos
em caixinhas de fósforo
para futuras pesquisas
sobre seu potencial bélico
enquanto os últimos girinos
capturados com armas de cozinha
viravam munição

O pelotão tomou a casa abandonada
À noite ouvia-se o tropel
tudo se apertava:
coração, pernas e calor
Até os cães latirem
para alguma coruja inocente
que logo era bombardeada

Ao fim de treze anos
a rua inteira e as fachadas
todas destruídas
houve uma reunião com
a alta cúpula dos soldados
e a cansada diligência dos pais:
Era chegada a hora do banho


Eli Heil






quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Angorá

uma gata angorá 
abre caminho
o ninho içado
a trinta pés 
batendobatendobatendo
faz-se a mistura amarela
bebem todas as deusas

Janaina Tschäpe

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Paleozoico

Há um embargo antigo
no banho da lavadeira
que confunde o horizonte
e todo animal se arrepia


Tatiana Vaz

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Grilagem

Nos catres amadeirados
insetos refazem o passo

deram três voltas e meia
sem saber
carregando toda coisa do Pontal


Lucia Laguna



quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

egrégia garganta
o monumento-pigarro
grunhe grunhe grunhe

Marina Rheingantz

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

AGRICULTURA

Enxertos cambitados
em fila na terra
e seus frutos cem-faces
estampando
na cara do cambiteiro
as rugas caídas
as sobras da safra
as aves de babel
comiam tudo



Cristina Canale